Terapia Comunitária - O que é?

A Terapia Comunitária é um espaço de partilha de vivências onde, através da palavra e da escuta respeitosa, os membros de uma comunidade vão construindo vínculos de apoio e soluções aos seus problemas cotidianos. É participando das conversações na Roda de Terapia Comunitária que se alcança a autonomia e a confiança por meio da ação terapêutica do próprio grupo, que relata e resgata suas histórias e experiências de vida na procura da solução dos conflitos pessoais.

Uma Roda de Terapia Comunitária é um grupo de ajuda mútua e um instrumento que permite construir redes sociais solidárias de promoção de vida e saúde, assim como a mobilização dos recursos e competências dos indivíduos.

15/04/09

Mais um pouquinho de dinâmicas para Terapia Comunitária

Grupos PEQUENOS de CONHECIDOS Dinâmicas para RELAXAR E ACALMAR
A CHUVA
Cada participante procura um lugar confortável dentro da sala para se deitar. De olhos fechados, seguira as consignas do facilitador. Consigna: Procure relaxar seu corpo, liberando suas tensões.... Pouco a pouco, seu corpo começa a ficar leve... muito leve, transformando-se numa nuvem...Você começa a levitar, atravessando a sala, de encontro ao céu....Procure explorar-se enquanto nuvem...Veja como é a sua forma, sua cor, sua textura...(respeitar o ritmo e o tempo interno de cada um).Você pode abrir os olhos; verifique como desliza pelo céu, avistando a terra lá embaixo... Você se encontra com outras nuvens e, com a junção, formam-se nuvens de chuva...Os pingos começam a cair, vagarosamente, ao estudar os dedos de uma das mãos. Depois, com as duas mãos, intensificando os pingos...Aproximam-se das árvores, caindo sobre as folhas, simbolizado pelo esfregar das mãos... Delicadamente no inicio, intensificando-se em seguida...De repente, a chuva fica mais forte e você deve representá-la batendo as mãos nas pernas. Ela aumenta mais e mais.... e aos poucos vai diminuindo...; Nota: A partir daí, inverte-se a ordem das consignas ate cessar a chuva. A nuvem se desfaz vagarosamente, transformando-se em pessoas novamente.
FLEXÃO E EXTENSÃO(Relaxamento Indutivo)
Os participantes devem ficar deitados, de forma confortável, com espaço adequado a sua volta. Ao comando de voz do facilitador, cada um deverá cumprir à risca o que for solicitado.Nota: Neste relaxamento, trabalha-se com todo o corpo (dos pés à cabeça), principalmente as articulações. São dois movimentos básicos: expansão (três vezes) e contração (três vezes) dos músculos. Inicia-se com o pé direito. Pede-se para contrair o pé e, depois, relaxá-lo, voltando à posição natural (três vezes). E, seguida, com o pé esquerdo, repete-se o mesmo processo. Retorna-se ao pé direito e pede-se para esticá-lo (extensão) e depois, relaxá-lo. Repete-se o processo anterior. SEQÜÊNCIA: pés, joelhos, quadris, respiração (abdome), tórax, braços e mãos, ombros, pescoço e cabeça. No final, pode-se acrescentar almofadas, para trabalhar cada indivÍduo, soltando-os, como se estivessem sobre uma nuvem. Retornam ao contexto grupal, respeitando-se o ritmo de cada um.
VIAGEM A UM BOSQUE (Relaxamento Indutivo)
Cada participante procura um local da sala para deitar, de forma confortável, procurando soltar as tensões do corpo. A partir deste (ao comando de sua voz), e cada um deverá imaginar (tentar visualizar) cada comando. “Seu corpo começa a ficar leve (...), cada vez mais leve (...) e você começa a levitar, saindo da sala (atravessando o teto). Levita sobre a cidade (...) afastando-se dela até se aproximar de um bosque (...). Procure ver este bosque (deixar aflorar a imaginação de cada um). Veja as árvores, a mata, os pássaros, os bichos (...) cristalinas, produzindo uma sensação agradável (...). mais ao fundo, uma cachoeira (...) etc. Nota: Após um determinado tempo, solicitar a cada participante que se despeça deste bosque e, lentamente, o facilitador deve conduzi-los ao caminho de volta (repetindo o processo de forma inversa), respeitando o ritmo de cada um.
RENASCIMENTO (Da Crisálida à Borboleta)
Cada participante deita-se no chão, de forma confortável e de olhos fechados. Após um breve esquecimento, deve imaginar que está dentro de um casulo (cor, tamanho, textura, temperatura, forma etc.), explorando-o ao máximo. As estações do ano passam e, aos poucos, cada um vai percebendo que se está se transformando numa linda borboleta (v. tamanho, asas etc.) dentro do casulo; Nota: ao sair do casulo, devem abrir os olhos, para verificar sua transformação (cor das asas, forma etc.). Ao sair do casulo, percebe que está com fome (ainda não percebe os outros) e o alimento encontra-se à sua disposição. Aos poucos, percebe o ambiente que o cerca, iniciando um processo de reconhecimento da área e, em seguida, percebe outros seres à sua volta, estabelecendo contato com eles.
RENASCER(Relaxamento Indutivo)
MATERIAIS: música: Bolero (Ravel, M.)
Os participantes devem deitar-se no chão, de forma confortável, com espaço a sua volta;b. Ao comando da voz do facilitador, deverão seguir as instruções solicitadas, como segue:Imagine-se como matéria inerte no fundo do mar (...) Existe água por todos os lados (...) Sinta a água escorrendo pela sua superfície inerte (...) Enquanto a vida se desenvolve, você se transforma em algum tipo de erva ou planta marinha (...) Escute o tambor e deixe o som penetrar nos seus movimentos, enquanto as correntes o arrastam (...) Olhe a sua volta (...) Aos poucos, transforme-se em um animal simples, que se arrasta pelo fundo do mar (...) Depois o tambor fluir através do seu corpo e dos seus movimentos, como animal marinho (...) Agora, mova-se vagarosamente em direção à terra (...) E quando alcançar, faça crescer quatro pernas e comece a se arrastar pela terra (...) Explore a sua existência como animal terrestre (...)Agora fique, aos poucos, ereto sobre duas pernas e explore a sua existência e movimentos bípedes (...) continue se movendo a abra os olhos e interaja com os outros, através dos movimentos (...)”.
BOLA NO PAINEL
O grupo deitado de costas no chão, confortavelmente e de olhos fechados. “Imagine-se um imenso painel colorido tomando todo o seu campo de visão (...) Aos poucos, surge nesse painel um pequenino ponto, como uma cabeça de alfinete, que vai aumentando de tamanho, lentamente (...) Você percebe sua aproximação e, gradativamente, transforma-se numa bola colorida (...) Ela aumenta de tamanho e se aproxima cada vez mais (...) Torna-se uma bola imensa, que toca numa parte de seu corpo e arrebenta, saindo dela um líquido colorido. Esse líquido começa a colorir todo o corpo, lentamente (...) Aos poucos, o líquido vai escorrendo pelo chão e desaparece, deixando uma agradável sensação em seu corpo. Experimente-a (...) Vagarosamente você vai despertando seu corpo, apalpando-o através das mãos (...), espreguiçando-se (...) e, finalmente, abrindo os olhos. OLHAR Em círculo, mãos dadas. Vamos olhar cuidadosamente cada uma das pessoas, perceber que emoções cada uma provoca em nós, como tendemos a rotular o outro. Qual a única pessoa que não vemos? A nós mesmos. Daí a importância do outro, do grupo, para eu conhecer melhor, saber quem sou no mundo, na relação com as outras pessoas. 1.a - Agora vamos fechar os olhos e olhar pra dentro. Como está seu mundo aí dentro de você? O que está sentindo, o que está pensando? Como está sua respiração? E seus intestinos? 1.b - Enquanto olha pra dentro, escolha uma palavra que expresse algo do seu mundo interior. Vamos abrir os olhos, e cada um diz que palavra foi essa. LATERALIDADE Massagem em roda, todos com as mãos dadas. Uma mão massageia, a outra, recebe. AQUECIMENTO ARTICULAR Lentamente, vamos girar cinco vezes para cada lado as articulações, começando de baixo pra cima: tornozelos, joelhos, quadril, ombros, pescoço, pulsos. A respiração deve ser profunda. MASSAGEM NAS COSTAS Formam-se duas filas com o mesmo número de pessoas cada uma. As pessoas da fila de trás massageiam as da fila da frente. Depois de uma tempo, a fila de trás vai se movendo, e os que estão massageando dão um passo à direita, e começam a tocar nessa próxima pessoa, fazendo com que massageiem a todos. Depois inverte. ALONGAMENTO A DOIS Em duplas: a) segurando pelos pulsos os dois projetam o quadril pra trás, alongando a coluna. b) Um fica em pé e o outro senta num banco imaginário bem baixinho MASSAGEM COM A COLUNA FLEXIONADA Em dupla, enquanto uma delas faz o rolamento pra frente, a outra dá soquinhos na musculatura para-vertebral (ao lado da coluna), no sentido: cintura para o pescoço. Depois alonga pra cima e brinca em torno do eixo. MASSAGEM NO ROSTO Um fica sentado, o outro em pé, sem encostar, com os olhos fechados. Toque o rosto do outro como se fosse um cego conhecendo outra pessoa. Troca. MASSAGEM NOS PÉS Levar óleo e música. Em duplas, as pessoas tocam os pés e passam óleo. Levar o mapa dos pés (Do-In).

Um comentário:

  1. Sou Enfermeira em um pequeno Município na Paraíba, gostaria muito de obter maias técnicas utilizadas em terapia comunitária, pois adorei o trabalho e as propostas de vocês, e como trabalho com atividades em grupo com idosos. Toda informação será bem vinda. Obrigada. Beijos!!!

    ResponderExcluir